X Contos Eroticos » Sexo » Minha amante casada

Minha amante casada

  • 21 de setembro de 2018
  • 644 views

Eu era o único homem dentre todos os funcionários onde tinham 14 mulheres, sendo o total de 15.Eu me sentia num harém com tantas mulheres de todos os tipos, magras cheinhas negras loiras e brancas cada qual com sua característica.

disksexo

Belas gostosas algumas casadas solteiras ou como elas mesmo diziam curtindo a vida. Sempre mantive respeito e só tive um caso com uma das colegas, mas foi rápido pois a mesma era casada e seu marido viajante ou seja fui apenas um pau amigo para acabar com sua carência. Foi bom enquanto durou restando apenas a amizade.

Mas esta semana começou uma funcionaria novata, seu nome é Anete loira com 1,60 olhos claros, coxas grossas e uma bunda empinada muito tesuda.

Encantei-me com ela desde o primeiro momento que conversamos no horário do lanche. Sempre cordial com todos e um belo de um sorriso.

Como em todo ambiente de trabalho sempre há brincadeiras entre os colegas e assim, fui me aproximando de Anete que eu soube que era casada. Mas isto não impediu que surgisse uma amizade. Sempre que saíamos do trabalho ficava na praça esperando seu coletivo pois a mesma morava em um bairro da periferia do grande Recife.

E foi a parti de nossas conversas que ela me relatou que era casada, mas não amava o marido que casou apenas por vontade de seus pais pois o namoro foi muito rápido. Nem se conheceram direito já foram casar.

Ela falava assim e percebia-se que não era feliz no casamento, mesmo.

-Passados alguns dias era visível o elo de amizade que surgiu entre nós.

Foi assim que eu tomei a iniciativa e a convidei a sair comigo, sair como um casal que se curte e quer estender os prazeres para a cama.

Ela me disse que iria pensar ai chegou o final de semana, ela não me respondeu nada. Esperei pacientemente chegar a segunda feira ai ela confirmou que na terça-feira iria está de folga.

Perguntei se poderíamos sair pela tarde, ela confirmou como eu tinha folga na casa pedi a minha chefe a folga na tarde de terça feira. Foi assim que acertamos de passar a tarde sozinhos e aí ficou acertado de irmos a um motel.

Anete ansiosa confirmou eu saí de casa todo cheiroso com a desculpa que iria no dentista, afinal sou casado também. Entrei no carro e fui ao encontro de Anete avistei-a parada no ponto de ônibus passei buzinei e parei alguns metros à frente.

Ela estava com um vestido justo preto que mostrava seus quadris largos e sua bunda empinada, ela estava mais gostosa ainda. Desci abri a porta para ela que entrou timidamente no meu carro. Segurei em sua mão e dei-lhe um beijo.

-E ai minha deusa pronta para uma tarde maravilhosa? Eu perguntei.

Ela disse com a voz tímida pronta não sei, mas ansiosa sim.

-Então vamos, tenha calma prometo ser cuidadoso e carinhoso com você: Ela assentiu com a cabeça e falou então vamos!

-Me dirigi para um motel escolhi uma suíte estacionei o carro e vim abri a porta para ela, assim que ela desceu abracei e dei-lhe um beijo de língua com muito tesão. Ficamos alguns minutos nos beijando. Entramos e assim que a porta foi fechada comecei a tirar seu vestido, quando olhei me deparei com uma loira linda usando um fio dental vermelho transparente de renda que mostrava uma linda e apetitosa xoxota. Digo sinceramente senti minha boca encher d’agua.

Ai tirei minha bermuda e camisa fiquei só de cuecas, meu pau teso mostrava atravessando na cueca a cabeça saindo pelo cós.

-Ai a chamei para tomar um banho, tomamos o banho ela ainda tímida me esfregou as costas eu fiz o mesmo apalpei seus seios mamei um depois o outro fazendo soltar um gemido rouco. Ai passei a mão em sua xoxota sentindo-a toda meladinha. Fomos para a cama.

Nem nos secamos direito, ela deitou eu deitei a seu lado só que com a cabeça ao contrário. Janete virou-se vindo com sua boca gulosa em meu cacete, o mesmo eu fiz caindo de boca em sua xoxota. Fizemos um sessenta eQuanto mais eu chupava mais eu queria chupar ela gemia de muito prazer. Percebia que ela já não estava mais aguentando de tanto tesão, eu mais ainda meu cacete babava, ai enquanto eu chupava seu clitóris fui aos poucos passando os dedos em sua xoxota até que ela não aguentou e gozou na minha boca, eu continuei chupando ela sentindo seu melzinho escorrer pela minha língua, o tesão era tanto que eu também não aguentei e enchi a boca da linda e gostosa Anete com um farto leite. Ela engasgou pois foi pega de surpresa, mas engoliu todo meu leite deixando ainda meu pau limpinho.

-Delicia é tudo que um homem gosta é de uma mulher bem resolvida e safada.

-Nos limpamos com a boca, mas meu cacete encruou e não baixou de jeito algum ai logo eu estava pronto com cacete em riste para comer sua xoxota gostosa.

-Botei ela de quatro e fui enfiando meu cacete naquela xoxota ensopada, quando eu vi que meu pau estava todo atolado naquela tesuda eu enlouqueci de tesão e comecei e meter com ritmo compassado, Anete rebolava e pedia para eu meter com força, eu comecei a puxar seus longos cabelos forçando meu cacete fundo. Delicia ouvi seus gemidos de tesão, enquanto eu metia fundo dando tapas em sua bunda deliciosa.

Anete parecia estar enlouquecida rebolando no meu pau, foi ai que ela me pediu para sentar no meu pau.

Deitei na cama ela veio por cima e foi sentando no meu pau, começou a cavalgar eu pensei que até os culhões iam entrar do jeito que ela quicava no meu pau.

Depois de alguns minutos ela começou a gritar de tesão que estava gostoso que meu pau era delicioso que sabia fazer uma mulher sentir prazer, estas coisas que toda mulher diz quando fica comparando o pau do amante com do marido que não sabia despertar a safadeza dela na camafeu metia sem dó mesmo até com uma estocada mais forte eu senti seu melzinhoescorrer pela cabeça do meu pau, Anete gozou como nunca. Fiquei louco quando ei sentir ela gozando ai a segurei em seus quadris forcei umas estocadas fortes em poucos segundos enchia sua xoxota de esperma. O tesão era tanto que nem lembramos de usar camisinha, algo que não deveríamos ter feito, mas agora só pensar nos próximos momentos então fomos tomar um banho que precisávamos ir embora.

Que tarde maravilhosa de sexo ainda no banheiro a coisa pegou fogo foi carinho de todo jeito e ali mesmo no banheiro, Anete me confidenciou que seu marido nunca tinha feito anal com ela. Fiquei pasmo de saber disso pois os homens perdem de oferecer prazer para sua amada e ali naquele momento eu comecei alisar sua bunda depois me abaixei dei uma salivada no seu anel que Anete ficou louca meti os dedos em sua xoxota e ela se derreteu em gozo.

-Caracas a mulher parecia um vulcão é o que sempre digo não há mulher fria há homens que não sabe fazê-las gozar gostoso, mas para isto sempre tem nós amantes.

Finalizamos com uma trepada em pé no banheiro e já deixamos marcado para próxima semana nosso encontro.

-E foi a parti daí que Anete tornou-se minha amante nossas transas eram cada vez mais excitantes, pois sempre tínhamos surpresa e nossas fantasias a cada dia iam sendo realizadas. Eu comprava fantasias lhe dava de presente já sabendo que no próximo encontro teríamos momentos de muito êxtase e sempre era assim quando Anete gozava pouco era três vezes isto me deixava louco.

Mas ela sempre relutava em fazer anal eu nunca deixei de tentar até o dia que ela decidiu que nosso próximo encontro seria num final de semana, seria em sua casa pois o corno ia viajar.

Fiquei louco e Deus me ajudou que minha esposa foi visitar os parentes no sábado de manhã e só voltaria domingo pela tarde.

Estava como eu queria e tinha desejado tanto.

Eu levei a esposa até a rodoviária pedi que me ligasse quando fosse retornar para ir pega-la ela estava feliz por ter ido passar o fds fora e eu mais ainda de estar livre.

Ai liguei para Anete ela disse-me que eu poderia ir até a sua casa as 17 horas, almocei descansei um pouco tomei banho fiz a barba peguei algumas camisinhas, um creme lubrificante coloquei numa sacola e fui, antes passei num mercado comprei um bom vinho alguns petisco e fui até a casa de Anete guardei meu carro na sua garagem.

Ela me esperava linda com vestido de alças, assim que desci do carro lhe dei um beijo. Entramos tínhamos uma final de semana inteiro só para nós, ai fomos para a sala ela nos serviu o vinho tomamos e brindamos a nossa saúde.

Em pouco tempo já estávamos só de roupas intimas a casa fechada apenas um som agradavam animava o ambiente. Fomos para o tapete os carinhos constantes ai logo eu estava chupando sua xoxota, Anete gemia, me puxava os cabelos me chamava de safado eu adorando saber que ela estava gostando pois estava bem meladinha de tesão, eu chupei com tanta vontade que logo ela gozou em minha boca. Não parei de chupar e passava a língua em seu cuzinho sentia Ante se contorcer de prazer ai foi nessa hora que eu disse a mim mesma é agora ou nunca, fiquei brincando com a língua e vez ou outra meu dedo escorregava eu sentia ela retrair, mas não dizia nada aí continuei sentindo ela se contorcer de prazer.

-Ai continuei provocando-a suas sensações até

Que ela foi relaxando com e meu dedo foi entrando no seu cuzinho virgem que eu tanto desejava, ai eu coloquei-a numa posição que dava para ela ser chupada de um jeito que não podia escapulir, ai aos poucos fui mudando de posição sabendo que logo estaria pronta para receber meu pau entre suas pregas, ai continuei chupando deixando ela mais tesuda gemendo de prazer. Foi ai que botei ela de quatro no meio da cama fiquei atrás dela segurei no meu pau e fui guiando até a regada de sua bunda, não parei um minuto de fazer carinhos. Alisava sua bunda acariciava seus seios com a mão deixei ela pronta entregue ao prazer ai aos poucos fui colocando meu bem devagar até que a cabeça entrou em seu rabo, ela soltou um grito de dor acalmei ela ficou quieta logo começou a rebolar lentamente eu ia forçando cm por cm de meu pau em seu rabo até não tinha mais nada de fora, pedi para ela relaxar.

Anete riu dizendo como relaxar se você está me dividindo em duas!

-Calma amor vou ser paciente pense no prazer e fui aumentando os movimentos de quadris e Anete começou a rebolar em pouco tempo ela estava gemendo de tesão.

-Eu fui acelerando os movimentos comecei a puxar seus cabelos, dizendo que ela era minha puta gostosa, ela dizia que eu era o macho dela, ai entramos num ritmo alucinado enquanto eu comia seu cuzinho pela primeira vez ela se masturbava com os dedos ai ela disse que não estava aguentando que já ia gozar, segurei com força em seus quadris senti seu gozo aumentei os movimentos e gozamos juntos. Caracas pensei que a camisinha ia estourar foi gozo para não acabar mais…Ficamos quietos alguns minutos até que fomos tomar um banho.

Anete no banheiro me disse que não imaginava que sexo anal era tão bom, que gozou pelos dois lados. Ficamos abraçados e foi assim que começou a saga da nova Anete pois queria realizar todas fantasias possíveis. E eu como seu amante estava sempre preparado.

-Fiquei amigo do marido dela, conversávamos muito e soube que ele tinha um caso extra- conjugal muito antes de se casar com Anete por isto demorava em suas viagens.

-Ai depois disso acabou-se o sentimento de culpa eu queria mesmo era trepar com Anete que ficou cada vez mais viciada em sexo anal e cada encontro nosso é maravilhoso.

O que desejar mais da vida com uma amante bem puta sempre pronta a te satisfazer?

Estou dizendo algo errado?

Docecomomel

@docecomomelcontos

Contos relacionados

Comentários

© 2019 - X Contos Eroticos