X Contos Eroticos » Orgias » Festa deliciosa no swing

Festa deliciosa no swing

  • 30 de dezembro de 2019
  • 536 views

Hoje resolvi contar pra vocês, algo que acontece comigo com alguma regularidade.
Aquelas e aqueles que me escrevem e conversam comigo, já se aperceberam que sou defensora e praticante de sexo em grupo. Mais regularmente com outros casais. O conhecido Swing ou troca de casais.
Faz quase uns nove anos que eu e Joca, meu marido na altura, começamos fazendo parte de um grupo que atualmente é formado por seis casais.
A gente se encontra em média umas dez vezes cada ano.

disksexo


Não vou entrar em detalhe quanto as regras de nosso grupo, realçando apenas que temos regras muito severas, a nível de comportamento, higiene e ética. Mas apesar de rígidas, até agora sempre tem funcionado e o respeito entre todas e todos, tem permanecido.
Não vou me alongar muito, nas explicações sobre como funciona nosso grupo. O objetivo é contar pra vocês, sobre uma das nossas festas de sexo.
Para cada festa, um dos casais previamente selecionado, assume o papel de par anfitrião, lhe cabendo o papel de organizar a festa.
Toda festa tem um tema, um traje obrigatório que poderá ser com o pessoal todo pelado, também. Esses são os aspetos principais que previamente são acordados entre todos.
Tudo o restante é da responsabilidade do casal organizador. Mesmo os joguinhos de sexo que animam as festas, são discutidos em conjunto entre todos, no momento em que todos se juntam no local escolhido para a festa.
Acho que chega de explicações e que o essencial ficou clarificado. Aqueles mais familiarizados com o Swing, sabem do que estou falando.

Os que seguem meus contos, já leram meu conto MINHA PRIMEIRA DP ANAL. Esse conto relata outra de nossas festas.
Hoje vou contar pra vocês um pouco do que se passou daquela vez, naquele fim de semana…

Tudo começou naquela sexta feira de novembro. A festa estava marcada para sábado. A festa ia se realizar na casa de um dos casais com quem temos mais afinidade. Por isso a gente combinou chegar no dia anterior, pra curtir um pouco o bom tempo que fazia.
Só que Joca perdeu o seu voo de ligação pra Miami e já não conseguiu chegar no Rio, a tempo de ir junto comigo. Assim fui sozinha esperando que Joca se juntasse a nós no dia seguinte.
Depois de chegar na casa dos nossos amigos, Jerson e Carla que organizavam a festa daquela vez, fomos dar um passeio no seu iate. Aí logo tudo começou!
Me enrolei com a minha amiga, pra depois seu marido se juntar, nos comendo as duas.
A buceta de Carla é uma delícia. Lisinha e com uns lábios pequenos, bem deliniados, se abrindo sobre um grelo pequeno, mas bem saliente.
Depois de tesuda, ela fica gemendo de um jeito que transmite ainda mais tesão, pra quem tá chupando ela.
Depois de um gostoso 69, as duas gozamos quase em simultâneo na boca uma da outra.
Esperando pelo momento certo, Jerson observava nossas safadezas, enquanto punhetava seu pau.
Assim que relaxamos um pouco, nos colocamos as duas de quatro, lado a lado esperando pelo cacete gostoso de Jerson.

Eu tinha chegado apenas dois dias antes, de mais uma de minhas viagens na europa. Fazia quase tres semanas que não sentia uma pica de verdade. Estava tão tesuda, depois daquele tempo todo sem cacete, recorrendo apenas a meus brinquedos, que não tinha como resistir.

Depois daquele orgasmo que Carla me proporcionou com sua lingua, estava desejosa de sentir o pau de Jerson me fudendo.
Ele começou por Carla, fudendo ela forte na sua buceta linda. Com os gemidos dela, ali do meu lado eu ficava mais excitada ainda, ao mesmo tempo que esfregava meu grelo tesudo. Só me restava esperar, até sentir aqueles 20 cm de rola me encherem a buceta.
Finalmente chegou o momento. Ele meteu aquele pau curvado, dentro de minha gruta bem melada, começando a socar lentamente.
Aquele movimento lento da pica dele dentro de mim, me levou a apertar meus musculos vaginais de volta do cacete dele, ao mesmo tempo que comecei rebolando e empurrando minha bunda de encontro a ele. Parecia até que era eu quem estava fudendo ele, e não Jerson me fudendo a mim.
Com aquele meu tratamento na pica dele, não demorou pra que eu gozasse de novo, com ele dentro de mim.
Isso também fez com que Jerson começasse gemendo, anunciando seu gozo.
Logo nos colocamos as duas de joelho, juntando nossas bocas na frente daquela pica tesuda. Sem demora, enquanto Jerson punhetava rapidinho, começaram os primeiros jatos de porra nos atingindo nas bocas e nas nossas caras. Deixamos a pica limpinha, nos lambendo depois, recolhendo toda a porra das nossas caras, terminando num longo beijo bem melado.
Foi uma foda gostosa com Jerson, mas eu estava longe de me sentir satisfeita.

Depois de um mergulho retemperador e de uns amassos gostosos dentro de água, voltamos pra casa.
Aí ficamos de volta da piscina, pelados pegando um solinho. Estavamos aguardando mais dois casais que iriam se juntar, para a festa do dia seguinte.
Todo mundo já se conhecia, por isso rapidamente estava tudo pelado, conversando e curtindo aquele final de tarde bem quente.
Fazia tanto calor que todos começaram se atirando na água. Elas gritando com os amassos e dedinhos atrevidos, criaram um clima para que sem grande demora, todo mundo estivesse enrolado, terminando numa transa bem gostosa.
Como eu era a única que não tinha parceiro, fiquei rolando com todos.
Ia chupando o cacete que estivesse livre, ou a bucetinha gostosa que estava pedindo carinho.
Sempre tinha uma pica ou uma buceta, pra eu chupar e lamber…
Alguns dos pares iam trocando, transando eles com as mulheres dos outros.
Apesar de estar sózinha, ainda consegui que eles também me comessem.
Enquanto lambia uma buceta, arrebitava minha bunda e logo um deles, enfiava seu cacete na minha buceta molhada.
Os três machos me comeram por tras, deixando minha buceta bem arreganhada.
No final, fui rolando de par em par, pra lamber todos os restos de porra que conseguia…

Depois do jantar chegou mais um casal. Era Sara e Joel que chegaram mais tarde.
Sara é uma loira alta, com corpo de modelo. Sempre bronzeada e tem um grelo enorme…
Depois deles chegarem e as habituais saudações de boas vindas, decidimos ir todos para a praia privada da casa de Jerson e Carla.
A noite estava tão quente que depois de uns drinks, todo mundo começou tirando os bikinis e calções, começando se enrolando, lambendo e chupando.
Eu era a unica mulher que estava sem par. Aí falei pra eles que iriam ter de me compensar por isso.
Comecei dando show pra eles, começando me masturbando e me mexendo como uma puta louca.
Não demorou até que me coloquei de quatro, me arreganhando pra todo o mundo.
Todos me conhecem bem, sabendo como sou safada e tesuda!

Sem demora, logo tinha os quatro homens, em fila me comendo por traz.
A coisa rolou durante uma boa meia hora, pelo menos.
Todos eles me comeram na buceta e no rabinho.
Eu estava bem ocupada. Especialmente consolada, recebendo aqueles cacetes. Mas mesmo assim, reparei que as mulheres estavam se entretendo, assistindo ao meu desempenho, enquanto se lambiam e chupavam…
Depois de ouvir um dos caras falar que ia gozar, desafiei as outras mulheres a me ajudar, terminando com um boquete pra eles. Só Giselle falou que queria chupar.
Carla falou que não queria porra. E as outras duas estavam mais interessadas em continuar seu 69 lésbico.
Aí perguntei para Giselle que tinha se juntado a mim, se ela queria um banho de porra.
Ela falou que alinhava comigo, apesar de se sentir um pouco insegura pra fazer isso. Ela deu umas timidas chupadas no seu marido Pedro e logo se afastou, perdendo a coragem de continuar…rsrs
Uns instantes depois, consegui juntar os quatro homens a minha volta.
Comecei punhetando eles e chupando aqueles quatro cacetes.
Eu estava em delírio, mas eles também estavam adorando sentir minha boca, mamando seus cacetes.
Pouco depois, comecei recebendo porra do primeiro. Logo depois, mais dois aproximaram suas picas da minha boca, jorrando seu leite pra mim.
Estava sendo difícil guardar toda aquela porra na boca. Alguma esporra escorria pela minha face e queixo.
Só faltava mais um se esporrar pra mim. Eu batia punheta pra ele, chupando seu saco, até que finalmente ele começou gemendo.
Valeu a pena esperar, pois ele me deu uma bela gozada de porra, me enchendo bem a boca.
Engoli tudo o que podia, usando meus dedos, pra recolher os restos de esperma que me corriam pela face.
Que delícia!
Depois fomos todos no mar tomar um banho.
Ficamos na praia até tarde. Só pela madrugada começamos nos recolhendo nos nossos quartos pra relaxar até a festa do dia seguinte…

Esse foi o primeiro dia!
Raramente acontece, que no dia anterior a gente se envolva desse jeito.
Habitualmente não estamos tantos casais ainda. Mas daquela vez tudo se proporcionou. Quase todo o pessoal já estava no local. Só estava faltando Jessica e Edu e o meu Joca.
O calor que estava fazendo, também ajudou a que a temperatura de nossos corpos também aumentasse…rsrs

O dia da festa não teve grande história…
Joca chegou ao final da manhã, ainda um pouco exausto da viagem.
Jessica e Edu chegaram pouco depois.
Estavamos todos ainda tomando o café da manhã, recuperando da transa da noite anterior.
Uns pelados, outras de bikini e outros de calção, fomos todos curtir uma praínha.
Na praia, eu me dediquei a Joca, pois fazia umas tres semanas que não estava com ele.
Quando a hora da festa chegou, todo mundo parecia já ter gozado umas duas vezes…rsrs
Depois de um banho tomado e todo mundo vestido a rigor para a festa, estava demorando criar o ambiente habitual.
O tema da festa que tinha sido combinado anteriormente, era traje de marinheiro para os machos e de puta de cabaret para as mulheres.
Tres deles estavam fardados de oficial de marinha e nós pareciamos verdadeiras putas…rsrs
Como parecia ninguém querer tomar a iniciativa de começar a festa, falei para Joca colocar uma música provocante, para eu fazer um stripe show para o pessoal.
Assim foi! Comecei dançando e rebolando, enquanto me despia.
Quando notei que tinha tomado a atenção de todo o mundo, comecei me masturbando e provocando aqueles machos meio mole.
Comecei me chegando a cada um deles me esfregando no colo deles.
Depois comecei abrindo a calça de cada um, deixando o cacete a vista de todos.
Falei que o primeiro a ficar de pau duro teria a minha buceta e meu cuzinho de premio.
Aí todas as garotas começaram punhetando e chupando seus parceiros, para mostrar que seu macho seria o melhor.
Assim ficou um ambiente de tesão na sala, enquanto eu me masturbava e gemia alto, deixando todo mundo tesudo.
Eu estava bem tesuda de verdade e louca pra dar meus buracos. Acabei gozando e me colocando de quatro no meio da sala, falei pra Edu que foi o primeiro a ficar duro, pra me comer.

EDU, VEM ME COMER!
SOU SUA PUTA!
O PRÉMIO DE SEU TESÃO…

Ele logo veio por tras, metendo os seu pau grosso de 19 cm na minha xana molhada.
Depois foi Joel o dono do pau mais pequeno do grupo. Ele tem uma pica de 16,5 cm, mas que sabe fazer seu trabalho.
Entretanto as garotas chupavam as picas disponíveis e começavam abrindo suas bucetas para os machos.
Se seguiu Gerson, me fudendo a buceta com seus 20 cm curvados para a esquerda.
A seguir foi o negão do grupo. Carlão com sua pica grossa de 21 cm, me socando gostoso.
Nesse momento já se ouviam gemidos e suspiros por todo o lado. Todo mundo fodia naquela sala.
Se seguiu Pedro, vindo por tras, metendo seu pau grosso e cabeçudo de 18 cm, na minha buceta gulosa.
A seguir a Joca, é o pau que mais gosto de sentir. Não sei se pela forma da pica dele, ou se por ele ser um bom fodilhão, adoro aquele caralho.
No final veio Joca me fuder. Meu companheiro dos ultimos 17 anos que eu amo do fundo de meu coração.
Pra ele eu logo falei que queria o pau no cu e não na buceta.

ME FODE O CU QUERIDO!
TÔ CHEIA DE TESÃO…
QUERO SEU PAU NO MEU RABO GULOSO.
METE NO MEU CU, VAI!

Fazendo minha vontade, ele colocou a cabeça no meu buraco, empurrando lentamente até ele deslizar com suavidade pra dentro do meu anus guloso.
É dos maiores prazeres que eu posso ter, sentir aqueles 23 cm de rola entrando toda no meu rabo…uhhhhhhhmmmmmm
Depois de algum tempo com Joca me socando o cu por tras, pedi pra ele se deitar de costas no chão.
Logo que ele se deitou, depressa coloquei minha boca no pau dele, chupando com deleite.
Deixei o cacete bem melado, pra depois me sentar sobre ele, deixando ele deslizar todo bem pra dentro do meu rabo. Fiquei sentada naquele pau, deixando apenas as bolas de fora.
Comecei cavalgando gostoso, enquanto ele me dedilhava a fenda.
Todos aqueles gemidos e suspiros a nossa volta me davam ainda mais tesão.
Ai deixei meu corpo cair de costas sobre Joca, abrindo e levantando minhas pernas, falando pra todo mundo!

QUEM É O MACHO QUE RESISTE A ESTA BUCETA?
QUERO UMA DP!!!
QUEM QUER ME FUDER A BUCETA?
QUERO PICA NA BUCETA!!!

Claro que não demorou até alguém preencher meu buraco vaginal com um pau duro.
Foi Carlão o primeiro a meter o cacetão grosso na minha xana babada.
Eu só gritava…

QUERO PICA!!!
QUERO PICA NA XANA E NO CU!!!
ME FODAM! ME FODAM!
SOU A PUTA DO CABARET…
VENHAM SEUS MARINHEIROS DE ÁGUA DOCE…
ME PROVEM QUE SÃO MARINHEIROS A SÉRIO…
ME FODAM!!! ME FODAM COMO UMA PUTA!

Parece que meu pedido aumentou o tesão de todo o mundo.
Depois de cada macho meter na minha buceta, logo ia descarregar a porra na sua companheira.
Jessica me vendo daquele jeito, falou também que queria uma DP.
Assim com nós duas dando pra dois machos, a coisa acelerou ainda mais, com aquelas picas a jorrar porra na boca de umas, Pedro gozou no cu de Jessica.
Edu foi o ultimo a meter na minha buceta e me deu sua porra na boca.
Quando tudo acalmou um pouco, e Joca com seu pau duro ainda dentro do meu cu, falei pra ele que queria beber seu leite.

ME DÁ NA BOCA QUERIDO!
ME DEIXA BEBER SUA PORRA DELICIOSA…

Aí eu saí de cima dele, me colocando de joelho esperando que Joca colocasse sua pica na minha boca pra chupar.
Ao mesmo tempo que sinto a cabeça de Giselle, vinda por tras se metendo por baixo de minha buceta, pra me chupar.
Aquilo me deixou louca…

ME CHUPA PUTA! CHUPA OS SUCOS DESTA PUTA TESUDA!
SAFADA VAI ME FAZER GOZAR DE NOVO…
UHHHHHHHMMMM
E ESTA PICA QUE TÔ CHUPANDO, VAI ME DAR PORRA…
VOCÊS ME DEIXAM LOUCA!
VAI PUTA, ME CHUPA O GRELO BABADO…
ESSA PICA VAI ME DAR MUITO LEITE, NÃO VAI CACHORRO…

Falava eu pra Giselle e Joca, enquanto os outros assistiam. Todos menos Jessica e Beatriz que estavam envolvidas num 69 gostoso.
Não demorou até que eu gozei na boca de Giselle e comecei recebendo o esperma quente de Joca na minha boca gulosa.

UHHHHHHHHMMMMMMM
AAAAAAAHHHHHHHH
POXA, QUE DELÍCIA!!!
UHHHHHHHMMMMMM
AAAAAAAAAHHHHHHH

Eu me deliciava, mamando aquela esporra deliciosa, enquanto a lingua de Giselle fazia minha buceta se derreter na boca dela…
Acabei de chupar a ultima gota da pica de Joca e agradeci pra eles, todo o prazer que me deram.

A noite continuou com um banho na piscina e disfrutando de uma bela refeição, acompanhada de bons vinhos.
Talvez por estar demasiado calor, todo mundo estava exausto depois da transa. Desta vez soube a pouco, mas foi bem gostoso.
Uns foram na praia, relaxar ao som do mar tranquilo. Namorando naquela noite gostosa, com alguns amassos pelo meio.
Outros se ficaram pela piscina e teve ainda quem recolhesse no quarto pra dormir.

Assim deixo pra vocês este relato de mais uma de nossas festinhas.
Não foi a melhor, mas foi um pouco diferente das outras, ficando talvez marcada pelo calor que fazia.
Apesar de não ter acontecido nada de especial, achei que seria interessante contar pra vocês. Transmitindo uma ideia mais real do que pode ser uma festa de sexo entre casais. Como podem perceber, tudo acontece de uma forma natural, pra quem curte sexo gostoso, sem tabus.

Espero que tenham gostado e por favor deixem um voto no final.
Obrigada!
Até breve, com mais um relato da vida sexual de vossa amiga

Contos relacionados

Comentários

© 2020 - X Contos Eroticos