X Contos Eroticos » Sexo » Casada carente querendo rola

Casada carente querendo rola

  • 4 de fevereiro de 2019
  • 1416 views

Oi pessoal estou de volta sou Carlos tenho 43 anos moro em São Paulo quem leu meus contos sabe sou solteiro e moro sozinho. Trabalho em uma empresa no centro de São Paulo no departamento de vendas essa empresa tem filiais em vários estados do Brasil sempre preciso viajar para dar suporte nas filiais que estão com vendas abaixo do normal, em uma filial nossa estava muito ruim de vendas meu diretor me chamou me passou toda situação como teria que ficar lá por vários dias como teria muito trabalho de visitas resolvi ir de carro, tenho uma secretaria que é meu braço direito solicitei que ela fosse comigo apesar dela ser casada ela aceitou ir seu nome Patrícia ela tem 28 anos morena clara cabelos pretos casada a 5 anos sem filhos.


Patrícia já trabalha na empresa 4 anos sempre dedicada nunca faltou um dia sequer.
Sim que comuniquei Patrícia da viagem que duraria uns 15 dias ela ficou preocupada por causa do seu marido mas como ele viaja muito ele aceitou de boa.
Ajeitamos tudo a empresa liberou averba no dia seguinte de madrugada saímos rumo ao nosso destino passei na residência de Patrícia por volta das 6 da manhã Patrícia estava linda nesse dia usando uma roupa simples uma blusinha de renda bem decotada onde dava pra ver seus lindos seios uma saia jeans um pouco acima do joelho, uma sandália baixinha, como ela trabalhava comigo a muito tempo tínhamos uma certa intimidade assim que ela entrou no carro eu disse.

-Um como voce esta linda hoje seu marido é um homem de sorte.
-Seu bobo sempre me visto assim voce que nunca reparou.
-Mas hoje voce esta muito mais linda.
Pegamos estrada chovia muito vidro todo embaçado Patrícia ficou bem a vontade estava muito sexy aquele dia usando um perfume bem suave coloquei uma musica tranqüila Patrícia cochilava estrada muito movimentada não dava pra andar muito em alguns locais parava um pouco próximo aos pedágios, Patrícia acorda e fala.
-Chefe quanto tempo de viagem ainda falta.
-Nesse ritmo umas 3 horas ainda.
Fazia um friozinho da manhã a bagagem estava no porta malas Patrícia fala.
-Carlos no próximo posto da uma paradinha quero usar o toalete.
-Sim eu paro.
Andamos mais 15 minutos paramos no posto aproveitei pra tomar um café Patrícia me pedi pra abrir o porta malas ela queria pegar um cobertor o tempo estava esfriando, abri ela pegou entramos no carro e seguimos viagem, andamos mais 2 horas debaixo de uma chuva danada Patrícia dormia tranqüila uma hora o cobertor cai eu a vejo de pernas entre abertas ela usava uma calcinha branquinha linda semi transparente dava pra ver sua xerequinha com pouquíssimos pelinhos a coisa mais linda ela acorda e percebe a situação ela disse.

-Desculpe chefinho foi sem querer.
-Não se preocupe o que eu vi nada mais que já não tenha visto.
-Seu safadinho.
Nisso passo a mão no meu pau por cima da calça ela percebe e fala.
-Hum do deixando meu chefe em situação difícil.
E cai na risada agora o transito para de vez a chuva muito forte não se via nada Patrícia me pergunta.
-Carlos voce sempre sozinho nunca vi com ninguém voce mora só.
-Sim moro decidi ficar solteiro mas tenho meus amores.
-Na empresa as meninas comentam umas desconfiam que voce é gay.
Cai na risada e disse.
-Sou hetero gosto de uma xoxotinha não casei porque ainda não encontrei quem me faça feliz.
O transito começou a nadar devagar fui dirigindo parou de novo agora Patrícia mais a vontade suas coxas toda de fora dava pra ver o fundinho da sua calcinha eu arrisquei pus a mão na sua coxa dei uma alisadinha ela fica toda arrepiada e fala.
-A sim não agüento chefe nos dois sozinhos nessa estrada uma chuva dessa o clima fica uma tentação.
Percebi que ela deu sinal verde subi minha mão até sua bucetinha que já tava toda molhada sai calcinha bem fininha afastei ela de lado comecei a passar a mão naquela xaninha apetitosa Patrícia manda eu esperar um pouco ela tira a calcinha agora sem calcinha eu via toda aquela xaninha linda meu pau dentro da calça já tava furando a cueca ela pega nele por cima da calça começa a alisar ela abre o zíper começa um punhetinha deliciosa liguei o rádio numa rádio da região o locutor anunciava um grave acidente que o transito iria demorar pra andar Patrícia ouvindo aquilo disse.
-Hum chefe que coisa boa vamos demorar aqui.
Patrícia agora com mão no meu pau punhetava mais forte ela fechava os olhos e dizia.
-Ai que pau lindo voce tem chefinho que tesão me deu uma vontade.
Nisso ela baixa o rosto no meu colo começa a beijar meu pau sua boquinha suave começa a chupar meu pau a menina era uma profissional em chupar pau eu prestando atenção no transito agora andava bem devagar ela com sua boquinha de veludo engolia todo meu pau mordia devagarzinho cuspia na cabeça engolia tudo parecia que chupava um picolé eu tava indo as nuvens ela dava risada e falava.
-Meu marido é um quadrado não deixa eu chupar seu pau disse que mulher que chupa pau é vagabunda vem chefinho me da esse pau lindo.
Passamos pelo acidente agora andava mais depressa Patrícia percebendo que meu pau inchava na sua boca que estava perto do gozo acelera na chupeta não agüentei jorrei toda minha porra na sua boca, ela engole tudo e olha pra mim com cara de safada e fala.
-Chegando na cidade quero que voce me como com vontade to louquinha pra sentir sua rola dentro da minha buceta.
Andamos mais 2 horas e chegamos no destino meu carro cheirava sexo paramos no hotel ajeitamos as coisas ela tomou um banho rapidinho e volta com um vestido preto com um decote generoso estávamos descendo de elevador estava só nos dois ela pega minha mão coloca na sua buceta e fala.
-Olha chefe estou sem calcinha e sem soutien só pra voce.
Dei um abraço juntei ela dei um beijo em sua boca o elevador pra no térreo nos saímos fomos almoçar as 2 das tarde se dirigimos pra empresa trabalhamos ate as 7 da noite a noite, chegando no hotel subi no meu quarto e Patrícia no dela as 8 e meia nos encontramos fomo jantar na volta convido Patrícia a entrar no meu quarto convite aceito assim que entramos agarro Patrícia pego ela no colo coloco ela na cama e começo s despir ela si vestido tiro seu vestido agora ela toda nua caio de boca na sua buceta retribuindo a chupeta que ela fez, Patrícia com uma bucetinha cheirosa depiladinha chupava ela se contorcia toda ela pega meu pau coloca na boca agora fazíamos um 69 delicioso gozamos juntos ela bebi toda minha porra, deitados ela confessa que o marido não procurava que fazia 5 meses que não transavam meu pau duro de novo eu pego uma camisinha ela fala.
-Sem camisinha chefe eu não fico grávida pode me fuder a vontade.
Penetrei naquela bucetinha toda apertadinha meu deslizava com suavidade ela gozava feito uma louca ela chorava gemia e dizia.
-Chefe eu não agüentava mais de vontade de fazer amor com voce eu bati várias siririca pensando em voce me fode com gosto deixa eu sentir esse pau dentro da minha xoxotinha.
Quanto mais eu metia mais ela gozava em dado momento não agüentando mais eu gozo encho sua bucetinha de porra, adormecemos agarradinhos aquela mulher linda ao meu lado acordo de madrugada agora estávamos de conchinha meu pau duro ela resmungava meu pau duro comecei esfregar por fora na sua buceta ela abre as pernas pega meu pau com a mão coloca a cabeça na entrada vou penetrando gostoso a hora que meu pau todinho dentro da sua bucetinha ela contrai sua buceta segurando meu pau ela da uma gozada e começa rebolar fico metendo agora feito um louco dava cada metida minhas bolas batia na sua bunda eu falava.
-Vem minha gostosa deixa eu te fuder de verdade o corno do seu marido não sabe a mulher que ele tem.
Ela rebolava me xingava eu metendo a hora que vou gozar eu gozo no seu cuzinho, começo apontar meu pau pro seu cuzinho ela fala.
-Ai chefe vai devagar meu cuzinho e virgem.
Seu cuzinho todo melado de porra facilitou a entrada do meu pau fui metendo com cuidado pra não machucar a hora que a cabeça entra dou uma paradinha vou empurrando devargazinho até entrar tudo assim que entra eu paro pra ela acostumar com meu pau dentro do seu cu, a dor passa ela começa a rebolar agora ela já tava de 4 seguro na sua cintura começo a bombar ela rebola mordo seu pescoço ele geme e grita.
-Vai gostoso de fode gostoso enche meu cu de porra.
Não agüentei enchi seu rego de porra fomos pro banho o dia já tava amanhecendo tomamos banhos juntos chupei sua buceta debaixo do chuveiro dei outra metida debaixo do chuveiro gozei de novo inundando sua xoxota de leitinho.
Ficamos 15 dias na cidade fudemos todos os dias agora estou na minha sala escrevendo ela ajoelhada fazendo um boquetinho.

Contos relacionados

Comentários

© 2019 - X Contos Eroticos