X Contos Eroticos » Lesbicas » A Crente Lésbica

A Crente Lésbica

  • 13 de fevereiro de 2024
  • 1084 views

Eu havia ido em um congresso da igreja e acabei conhecendo uma amiga chamada Myla, ela é cheinha uns 74kg de cabelos alisados e 1.71 de altura e a boca muito carnuda, depois de muitos meses conversando acabei descobrindo que Myla havia entrado na igreja pois queria repreender os seus desejos por mulheres, e eu sempre tive uma curiosidade imensa de descobrir como seria ser chupada por uma mulher.

Acabou que aconteceu um novo congresso só que em uma fazenda e devíamos acampar, logo fui convidada por ela para que nós dividissimos a barraca, eu sabia que ela já havia sido lésbica e logo comecei a imaginar se o convite dela teria algum interesse em mim, isso me acendeu um fogo pq já estava alguns meses sem transar já que estava me dedicando a igreja, fiquei meio envergonhada com os meus pensamentos pois eu não era lésbica.

Nós conversamos o dia inteiro e quando chegou a noite e fomos dormir, eu queria seduzi-la msm sabendo que era muito errado, logo inventei que não dormia com calcinha e que iria pôr só um baby Doll, e ela concordou, logo deitei e me embrulhei e ela ficou ainda digitando no celular e eu fingi que estava dormindo e me mexendo e acabei tirando o lençol de cima das minhas pernas e abri BEEEM as pernas e deixei minha xoxotinha toda depilada para fora e eu estava torcendo que ela estivesse olhando, logo ouvi um:

-Ei, você estava dormindo?
sentir que ela estava tentando me cobrir com o lençol e me mexi fechando as pernas pois fiquei com medo de que estivesse assustando ela, e logo comecei a repreender meus desejos e pensamentos, foi quando ela me perguntou:
– Você está aí acordada?
– Sim, estou flor
– Você depila tudo?
-Sim, não gosto de sentir pelos na minha buceta
– ela é muito rosada
– é sim

conversar isso com ela me excitou, desejei que ela botasse a boca e me chupasse igual ela havia me contado que já tinha feito no seu tempo de lésbica, logo com esses pensamentos eu tornei abrir as pernas e deixa bem amostra minha bucetinha para que ela desse mais uma olhava e comentei como estava calor e eu olhei ela de canto e a vi salivando na minha bucetinha vi que ela passava a língua entre os lábios e a olhava, eu então comecei levantar o quadril como se eu estivesse me esticando e ela logo perguntou:

– Pra ser sincera com você, eu acho sua buceta muito linda
logo eu percebendo o seu desejo e querendo ser chupada por aquela boca carnuda levantei novamente o quadril e passei o dedo entre minha buceta e falei: Realmente ela é linda e apetitosa e ri, eu acho que dizer isso a assustou pois logo ela virou para o outro lado e dormiu, passamos 4 dias nesse pequeno acampamento do congresso e no último dia a chamei para me acompanhar no banho de chuveiro pela a noite e ela concordou em me acompanhar, tomei um banho e pedi que ela me olhasse pois estava com muito medo eu sabia que ela estava me desejando, aquele olhar não negava mas ela estava lutando contra os seus desejos e eu aparentemente parecendo um demônio tentando ela,

quando fomos dormir novamente abri bem as pernas torcendo que ela abocanhasse tudo logo para que eu gozasse na boca dela mas nada foi feito, quando foi pela manhã tomamos café juntas e sabíamos que íamos embora pela tardezinha, depois do almoço fui tirar um pequeno cochilo na barraca quando Myla entra perguntando se eu queria ajuda, questionei sem entender para que eu iria querer ajudar?!, logo ela deitou-se do meu lado e eu apenas falei que queria gozar e ela levantou a cabeça e disse eu posso te ajudar, aquela garota me beijou loucamente, ela estava totalmente nervosa e nao fez nem uma apresentação foi logo botando a boca no meu grilinho e o chupando gostoso e dizendo que ia me fazer gozar só essa vez e eu a respondendo que ela ia me chupar quantas vezes eu quisesse e eu estava segurando os gemidos e lá estava ela se deliciando com a minha buceta estava toda lambuzada, passava a

língua no meu cuzinho e no meu grilinho ela me chupava inteirinha, eu levantava o quadril e passava mais ainda a xoxotinha na língua dela, logo a virei e sentei no rosto dela pedindo que desse línguada no meu cuzinho e ela dava eu estava me contorcendo querendo gozar mas eu queria mais, logo puxei aqueles cabelos compridos e deitei de lado e a fiz chupar minha buceta toda e falei pra ela por a língua pra fora que eu queria esfregar meu grilo naquela língua, e ela falava pra eu gozar logo se não iam ouvir meus gemidos e aí eu pedi que ela mordesse meu grilo levemente e

depois chupasse, meu grilinho ficou tão inchado com isso mas foi tão intenso o meu orgasmo, eu me tremia inteira e revirava os olhos, ela logo saiu da barraca limpando a boca e eu lá totalmente satisfeita, meses depois ela casou e eu continuo solteira, toda as vezes que o marido dela viajar vou dormir com ela pra por ela pra me chupar até eu gozar naquela boca, adoro que ela me obedeça em tudo, ela goza só chupando minha buceta mas se casou para repreender os seus desejos

Contos relacionados

© 2024 - X Contos Eroticos