X Contos Eroticos » Sexo » Sendo deliciosamente Enrabada

Sendo deliciosamente Enrabada

  • 14 de outubro de 2018
  • 159 views

Tenho 32 anos sou casada e sou muito rígida no meu trabalho nenhum homem se aproxima de mim por causa da minha firmeza.
Mas de num determinado tempo pra cá, um colega de outro departamento passou, por MSN, a me dar bom dia. Bom dia pra cá bom dia pra lá, mais papo…
Bem! Ele tem uns 10 anos menos que eu e era separado, caímos logo em assunto de sexo.

Cada vez o assunto ia ficando mais interessante e picante. Quando eu o via chegando, passando pelo corredor para ir pra mesa dele eu ficava esperando ele me chamar no MSN, minha bucetinha ficava piscando.
Falávamos coisas que gostávamos de fazer na cama pelo MSN.
Até que certo dia ele me disse:
– Posso te esperar, aí nos vamos ao motel ver se você faz tudo isso que diz mesmo.
Respondi:
– Não, você ta louco sou casada esqueceu?
Mas fiquei com aquele convite latejando na minha cabeça.
Passamos alguns dias sempre com muito papo e muito picante, aí ele passou a dizer:
– Você só fala, mas não faz nada.
Eu, com a buceta latejando, e ouvindo-o falar isso não agüentei, aceitei o convite.
Eu faço sexo há muitos anos (desde os 17) sou casada há 10 anos meu marido, ele é extremamente gostoso, sempre gostei de transar com ele, o meu marido tem uns 18 cm. de rola muito boa, grande, aaaadooooroooo!
Este garoto é pequenino, na hora que chegamos ao motel, ele me abraçou, foi logo tirando a minha blusa apertando meu peitos, fui beijá-lo na boca, ele me disse:
– Não, deixa seus beijos para seu marido, quero que você beije minha caceta.
Nossa! Não acreditei naquilo. Nunca tinha transado sem dar beijos…
Ele empurrou minha cabeça em direção do seu pinto.
Era um pau pequeno, ia até minha garganta. Nossa! Chupei aquele pinto como ninguém… Que delícia! Estava acostumada com um pinto bem maior, que não cabia na minha boca direito, este cabia inteirinho!
Enquanto eu chupava, ele ficava só fumando e me olhando, sem ao menos colocar a mão na minha buceta, isso me dava um tesão inexplicável. A essa altura estava soltando liquido sozinha de tão molhada.
Quando eu ainda estava chupando o cacete dele, ele pediu pra eu ficar de quatro para ele, pelo espelho, olhar meu cuzinho, respondi que não, então ele gritou comigo:
– Vai sua vagabunda toda certinha você não quer que eu te coma diferente do que você dá para seu marido, então eu vou te foder como uma puta. Vira de quatro anda!
Eu, toda tímida e assustada, virei. Aí ele abriu o meu cu com a mão pra ele olhar bem dentro, pegou o liquido que minha buceta jorrava e molhou meu cu. Eu dizia que não, nas vezes que eu tinha dado o cu era sempre com muito jeitinho, meu marido era extremamente carinhoso
Enquanto eu dizia que não, ele começou a me dar tapas na bunda. Nossa! No primeiro tapa eu gritei, nunca tinha acontecido isso comigo. Ainda de quatro eu me contorcia e ele batia.
– Vai sua vagabunda vou comer seu rabo sim – eu dizia que não, mas quanto mais eu dizia que não mais ele me batia.
E começou a enfiar o dedo no meu rabo, molhava e colocava o dedo, colocava o dedo com força e aquilo só aumentava meu tesão
E ele me falando que ia me enrabar diferente do que eu tava acostumada, as palavras entravam no meu ouvido e parece que no meu cu também fazendo meu cu piscar de tanta vontade.
Nessas alturas meu rabinho já estava que não se agüentava de tanto tesão. Aí ele enfiou aquele pinto sem dó, comecei a gritar, doía, mas era gostoso, ele começou a socar, eu nunca tinha levado tanto pinto socado no cu. Muito bom eu já estava a ponto de gozar e ele falava:
– Não sua vagabunda não vai gozar ainda senta no meu caralho!
Eu dizia que não que não ia agüentar
Ele falava:
– Vai. Vai agüentar e vai olhar o pau entrado no seu cu sua vagabunda.
E ficou sentado na beira da cama e me mandou sentar, eu, meio tímida, comecei a sentar e ele falava:
– Olha! Olha o cacete entrando no seu rabo, vagabunda!
Meu rabo a essa altura tava muito arrombado e o pinto entrou que foi uma delícia.
Só sentei e olhava aquele cacete arrombando meu cu… Comecei a rebolar, a rola tava muito boa no meu cu, com o caralho no cu e a mão dele na socando minha buceta foi a gozada mais maravilhosa da minha vida.
Depois ainda chupei mais o pau dele pra ele gozar. Gozou tudo na minha boca engoli aquele leitinho com uma satisfação.
Quando sai dali fiquei toda roxa dos tapas e com o cu arrombado.
Passei uma semana me escondendo do meu marido por causa das mancha no corpo e do cu arrombado, mas valeu!

Contos relacionados

Comentários

© 2018 - X Contos Eroticos