X Contos Eroticos » Gays » Dando Uma Chupada de respeito

Dando Uma Chupada de respeito

  • 26 de outubro de 2018
  • 1741 views

Me chamo Russ. Sou natural de São Paulo. Tenho 40 anos, loiro de cabeça raspada, olhos verdes e barba. Tenho 98 kilos bem tudistribuídos e apesar de não fazer academia, não tenho um corpo obeso. Vamos ao contoem agosto eu estava na rodoviária do Tietê aguardando um ônibus para Barretos, meu destino era e festa de peão de Barretos. Gosto muito e todo ano eu vou, mas esse anos resolvi ir de ônibus por motivos de segurança. A turma que sempre vou, foram dois dias antes, eu não fui por causa do trabalho. Sexta a noite, eu na fila da rodoviária, lotada, entrei no ônibus e sentei, a poltrona do meu lado estava vazia e o bus já ia sair, então sentei na janela, mesmo não sendo a minha poltrona, já que estava vazia. O motorista deu partida e então uma moça chega correndo atrasada, entra e chega até minha poltrona, olha pra mim e eu pra ela. Me toquei que ela queria o lugar dela e me levantei, ela agradeceu com um sorriso e sentou. Ficamos uns 10 minutos sem se falar, então ela pega um chiclete e me oferece, agradeço e não pego, ela

insistiu e colocou na minha mão e disse que era presente. Começamos a bater um papo, aquelas perguntas de se conhecer e tal, a conversa estava muito boa, rolava uma química e uns olhares bem interessantes. Ela pediu licença para ir ao banheiro mas disse que não era preciso de levantar e se espremeu toda para passar por cima de mim. Nossa, suas coxas rasparam minhas pernas nas, que delícia, grossa, sua bunda passou bem próximo a minha cara e logo imaginei aquele bundão gostoso só pra mim. Não demorou e ela voltou com uma Baton nos lábios é um sorriso gostoso. Continuamos a conversar mas ainme surpreendi, ela me beijou! Juro que eu já ia fazer isso, mas ela foi mais rápida. Que beijo bom, molhado, com suas mãos na minha barba, e a minha mão na coxa ela, é que coxa dura, uma delícia. Passei minha mãos sobre a cintura dela é ficamos abracafinhos. Viajar de madrugada é bom que todo mundo dorme, então suas mãos passaram sobre meu par que já estava expliodindo, ela apertava e me beijava, seu beijo estava ótimo e melhor ainda quando coloquei a mão dentro da calça dela. Pqp! Imagina uma bunda macia, cheirosa, fiz questão de cheirar minha mão e estava uma delícia. Chegamos na cidade de Araraquara e o ônibus fez uma parada para alimentação de 30 minutos. Saímos e comemos bem rápido e em seguida fomos atrás do estabelecimento, procuramos um local e encontramos uma caixa d’água, ali começamos a nos beijar num desejo desenfreado, minha mãos judiaram sua buceta por cima da calça e a sua o meu pau, sussurros de prazer e respiração ditavam a frequência da safadeza. Em meios aos beijos e abraços ela se vira e encaixa sua bunda no meu pau, coloca as mãos na parede e empina a bunda, rebola como se estivesse sendo penetra e eu só retribuindo. Não suporto e tiro meu pau pra fora, passo na sua bunda e pego sua mãos e coloco sobre ele. Ela toma um susto e se vira me chamando de safado, se ajoelha e pega no meu cassete com as duas mãos olhando nos meus olhos, começa a me punhetar com uma vontade deliciosa, passa a língua na cabeça e do nada, sem eu esperar, ela abre minhas pernas, levanta meu saco e passa a língua entre meu saco e meu ânus! Que delícia, pirei, endoidei! Ela se levantou com medo de alguém aparecer, eu não estava me preocupando, estava parado, com o pau muito duro olhando pra ela, nos beijamos novamente com ela segurando meu cassete, minhas mãos sobre os seios dela. Eu precisa chupar aquela buceta, porque amo chupar buceta, o gosto, o melado na minha barba me fascina.

Pedi pra ela abaixar a calça, ela respondeu que tinha que ser rápido, então ela encostou na parede e ficou de quatro, abriu as pernas e vi seu grelinho exposto, lindo e cheiroso. Vai de boca! Isso mesmo! Uma volúpia deliciosa, parecia que era a última buceta da minha vida! Ela rebolava cada vez que eu chupava o cuzinho dela, estava uma delícia e não demorou muito e ela gozou, nosssaaaaa! Que delícia! Que gostoso, aquele melado na minha barba. Me levantei e coloquei a cebecinha na entradinha da buceta dela, tinha que ser rápido, ela olhou pra trás com uma cara de safada e disse…..vai logo porra! Me fode! Olha! Confesso! Foi a foda mais rápida da minha vida! Dei algumas bombadas fortes e violentas, ela retribuiu, Aqua coisa de tesão mesmo! Gozei, tirei e deixei pingar no chão, ela se virou e me chupou mais um pouco, se levantou, me beijou e colocou a calça. Me arrumei também é saímos ara o bus que já ia sair. Sentamos e com a cara de safados conversamos, e usando fomos trocar o telefone, percebi que o meu ficou lá na caixa d’água! Que azar! Mas valeu a pena! Trocamos mensagens até hoje! Bjs

Contos relacionados

Comentários

Uma resposta para “Virando Amante safada do meu padrasto”

  1. Daniel disse:

    Ótimo conto Júlia e bem excitante, também sou de JF e tenho interesse em trabalhar conhecer melhor. Meu e-mail é [email protected], me chama lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 - X Contos Eroticos