X Contos Eroticos » Fetiches » Casada sendo puta pela primeira vez

Casada sendo puta pela primeira vez

  • 24 de dezembro de 2019
  • 1890 views

Não irei dizer aqui o meu nome, sou de uma cidade da zona da mata mineira e sou conhecido pelo que faço em termos profissionais. Um tempo atrás eu morria de curiosidade pra saber a respeito de swing e decidi me inscrever e pagar um desses sites para ter minha primeira experiência com casais. Tirei umas fotos, fiz um perfil e coloquei minha descrição dizendo que procurava por mulheres casadas e solteiras. Um dos perfis me chamou a atenção. Era de uma mulher aparentemente com seus 30 anos de idade, magrinha, branquinha, bumbum lindo e redondo, me parecia também ter a pele bem macia. Adicionei esse perfil e logo entrei em contato mandando mensagem. Como uma conversa normal iniciei com um oi e disse que tinha gostado da foto. Para minha surpresa quem estava conversando comigo era o marido dela que disse:

disksexo

– Bom dia meu amigo, quem está declando é o marido dela.

Eu disse: – Gostei das fotos da sua esposa, muito linda.

Ele disse: – Eu sei. Gostosa né? – e continuei:

– Sim, muito gostosa, adoraria conhecer o casal. São da cidade x mesmo?

Logo para minha surpresa ele me cortou dizendo: – Infelizmente ela não quer participar, ela disse que não tem coragem de me trair. Devo excluir esse perfil.

Eu continuei: – Você deve morrer de tesão imaginando ela com outro né? Acho a coisa mais linda uma mulher sentindo prazer, eu adoraria ter uma esposa safadinha liberal. Ia adorar ver.

Ele disse: – Já gozei muito imaginando essa possibilidade, mas ela não quer de jeito nenhum.

Na hora me deu uma ideia e escrevi pra ele: – Ela é muito linda, merece ser fodida de tudo quanto é jeito. Infelizmente ela não tem uma foto nua, mas pela calcinha deu pra ver que é bem bucetudinha. Ele disse: – É sim. – E continuei:

– Então, tive uma ideia. O jeito é você deixar ela aproximar de outro homem, pessoalmente, que daqui a pouco algo pode acontecer. Você quer isso não quer?

Ele escreveu: – Quero sim. – e continuei: – É só permitir.

Vamos fazer o seguinte. Eu trabalho vendendo um produto (financeiro) e posso combinar de encontrar com vocês, assim lhes apresento o produto, vocês me conhecem pessoalmente e começamos a nos aproximar, no final quando eu pedir o contato de vocês, você pede pra ela me passar o whatsapp dela para que eu resolvesse com ela, dizendo que vocês iriam conversar e que logo me dariam uma resposta. Tudo isso conversamos pelo Messenger desse site de swing, disse pra ele pra falar que conheci ele através do facebook e que tínhamos combinado pelo facebook. Logo de cara, passei meu facebook pra ele e disse pra ele dar uma olhada, e me conhecer mais, para se sentir seguro.

O marido que logo realizaria seu sonho de ser corno topou a ideia e assim fizemos. Nos encontramos em um shopping, pedi um suco para o casal e logo lhes apresentei o produto, que no caso era consórcio. Tinha decidido que não os levariam para o escritório que trabalho pois poderia me manchar, caso nosso plano desse errado. Coloquei ela para pensar na ideia de comprar um terreno em comum acordo com ele. Ele foi bem artista, fingiu mostrar interesse e ajudou colocar a ideia na cabeça da esposa dele para que ela topasse pensar sobre o assunto da aquisição de uma carta de crédito. No final da conversa como combinado, eu pedi o contato e ele pediu para que ela me passasse o contato dela. Peguei o número do whatsapp dela e então nos despedimos normalmente.

A noite mandei uma mensagem pra ele no Messenger do site de swing: – Gostei de conhecer vocês, maravilhosa ela, cheirosa, linda. Quero chupar muito sua esposa e depois colocar ela pra sentar bem gostoso.

Ele disse: – Não vejo a hora de ver ela com outro macho.

Continuei: – vou ser o primeiro de muitos dessa safada.

Ele disse: – Quanto mais melhor. E conversamos sobre as fantasias que ele já teve.

– Imagina ela em uma DP e mais 3 caras. Já imaginou?

– Sua esposa cavalgando com um pau na bucetinha, um no bumbum, segurando um pau em cada uma das mãos e com um pau na boca, quicando, mexendo gostoso , molhadinha e suadinha? Eu já imaginei aqui – disse pra ele, e continuei: – deve gemer muito essa vagabunda.

Falei pra ele que imaginar ela me deixou de pau muito duro e que não via a hora de meter bem gostoso nela. Perguntei pra ele se ela fazia anal e ele tinha dito que não, que ela não gostava. Continuei: – Então essa vai ser a meta: fazer ela virar puta e dar o cuzinho bem gostoso pra todo mundo.

Lembrei-o da conversa que tivemos a respeito do consórcio e falei pra ele conversar com ela e fazer de que estava na dúvida e que marcaria de novo pra gente conversar mais uma vez, com possibilidade de fechamento de negócio. Continuei dizendo que começaria a colocar o nosso plano em prática, que eu iria cantar ela, ele concordou.

Me despedi do chat e na parte da manhã mandei mensagem no whatsapp dela:

Escrevi:

Bom dia Cíntia( nome fictício), tudo bom?

Conversamos a respeito do consórcio, chegou a conversar com seu marido sobre o plano?

Ela escreveu: – Estamos conversando sim. Eu pra te ser sincera, até gosto de consórcio, mas não quero fazer não. Por ele a gente faz.

Continuei a conversa como um vendedor normal, tentando sair de suas objeções e defendendo o produto, dizendo a ela que seria interessante que assim estariam programando um futuro, e dinheiro que a gente não guarda, a gente perdi….e foi por aí…

Como ele tinha me adicionado no facebook, eu então comecei a olhar as fotos do casal pra puxar um papo, mais sexual para o lado dela.

Em uma foto, ela estava sentada em uma cama daquelas que ficam na beira da piscina e que dava pra ver seu corpo quase todo. Tinha um bumbum lindo. Estava com um biquíni lindo amarelo. Só me dava mais tesão olhar as fotos dela.

Como eu tinha combinado com o marido dela, comecei a cantar ela, indiretamente:

– Eu vi uma coisa que achei interessante hoje.

Ela bem educada e curiosa como toda mulher, me perguntou: – o que?

Eu continuei: – uma foto sua do facebook. Você sai muito bem em foto.

Ela escreveu: – Ah, obrigada.

Ela foi desse jeito, seca e sem dar moral, apenas educada.

E continuei: – Tem uma foto que gostei, achei perfeito. – tirei um print e enviei pra ela.

Ela me mandou uma carinha de vergonha. Eu continuei: – Maravilhosa. Esse biquíni é lindo.

Ela não disse mais nada, me deixando totalmente no “vácuo”.

Mais tarde relatei isso para o marido dela,enviei um print das conversas e disse: – estou chegando aos poucos, mas ela não da muita moral não. Perguntei para ele qual seria o horário que eu encontraria eles, e já planejando coisas, perguntei a ele que horas que ela tomava banho. Ele disse que assim que eles chegavam ela tomava banho, tipo umas 19h30. Então combinei com ele que o horário que nos encontraríamos seria esse. E disse a ele pra deixar um gancho na conversa, que quando estaria na casa deles ele tipo contaria uma história elogiando a beleza da mulher dele, e eu concordaria dizendo coisas do tipo que ela é realmente linda, gostosa ou algo do tipo.

No outro dia, pergunto a ela se conversou com o marido e se a gente podia marcar novamente(fingindo não ter conversado com ele pelo site de swing). Ela disse que sim, que seria as 20h na casa deles, pois seria esse horário que eles poderiam conversar com mais calma.

Cheguei na casa deles, toquei o interfone e penteando os cabelos pretos molhados e com um pijaminha de tecido bem levinho ela me esperou na escada, dizendo: – Oi. o Ricardo está no banho e já ele vem pra gente conversar, pode subindo. Disse que eu poderia entrar e aguardar no sofá enquanto isso, e ela foi para o quarto toda cheirosa penteando os cabelos.

Que visão maravilhosa, fiquei louco de tesão vendo aquela mulher de banho tomado, cabelos molhados, bem a vontade na sua casa.

Então, estava já me ajeitado no sofá, ele chegou, me levantei, o comprimentei, sentei novamente com a pasta no colo e ele logo chamou sua esposa:

– O bem, vem cá pra gente conversar sobre aquele negócio do consórcio.

Ela de dentro disse: – Estou indo.

A sala tinha dois sofás, eu fiquei sentado em um sofá e eles em outro.

Ele fazendo de que tinha dúvidas sobre o produto começou a me fazer as perguntas mais “bestas possíveis”. Eu lhes tirava todas as dúvidas, conversávamos, o papo ia bem tranquilo até que começamos a falar de praia. Em um determinado momento, comecei a falar das praias que já tinha morado. Em um determinado momento conversei lembrando q era muito bom, ainda mais pra quem é solteiro. Ele disse: – Imagino.

E continuando a conversa disse: – eu que sou solteiro, não tenho nem pássaro pra dar água, saía todos finais de semana. – completei dizendo e suspirando: – E nossa…só mulher linda na praia Brava. Como combinado, ele deixou uma abertura para elogiar a mulher dele e disse no meio da conversa: – Tipo minha mulher assim? – eu concordei: – Sim, tipo ela.

Ela ficando sem graça, fez uma cara pra ele que não aprovou muito. E eu continuei: – Estou sendo sincero. As mulheres de lá são assim e posso falar mais.

Ela agradeceu o elogio e continuamos conversando.

Tínhamos combinados em nossas conversas que arrumaríamos um jeito também para eu e ela em determinado momento ficarmos mais a sós, então tínhamos combinados que em algum momento quando esquentasse a conversa que ele iria para o banheiro, e assim ele fez.

Em um determinado momento da conversa pediu licença fazendo-se que queria ir no banheiro, nisso fiquei sozinho na sala olhando pra ela. E comecei a investir mais e pedi um copo d’água. Ela então foi na cozinha, que era junto com a sala, separado por uma bancada me trouxe o copo de água e assim que terminei de tomar, voltei as investidas:

– você tem o bumbum durinho. – Ela com cara de espanto me olhou assustada, parecendo que iria chamar o marido, mas que parecia não querer confusão. – continuei: – notei mais agora que vi você indo buscar o copo com água, também gostei daquela foto do face, maravilhosa. É somente um elogio sincero. O Ricardo é um cara de sorte. Ela ficou mais calma e quieta na sala.

Estava de pau duro e com estava vestido com calça social, o volume parecia mais ainda.

Então de repente o Ricardo volta na sala, e disse: – E então meu amor, decidiu algo sobre o consórcio? – respondendo ela disse: Não vou querer não.

Ele concordando com ela apenas me disse: – É amigo, vai ficar para uma outra vez.

Eu falei: – Tudo bem Ricardo, não tem problema, qualquer coisa que vocês precisar estou a disposição. Pode me ligar. Me despedi, ele me acompanhou até o carro e conversando baixinho disse pra ele: – Cara, acho que vai colar, vamos continuar porque está dando certo. Agora como o combinado, a próxima etapa, a gente finge que nos encontramos aqui perto, e que você me chamou pra ir na sua casa tomar uma cerveja. Mas tenho que chegar as 18h30, pq ela chega as 19h15 mais ou menos. A ideia é a gente tomar uma e ficar conversando, e quando ela chegar, você chama ela pra ficar conosco, deixar ela relaxar na conversa. Ele concordou e isso que era em uma quarta-feira, combinamos que iriamos nos encontrar na sexta-feira.

Nesse período ele perguntou ela porque ela não achou uma boa fechar o consórcio, ela então disse que não era o momento.

Eu disse pra ele que gostei de saber disso porque talvez ela estaria mais relaxada, porque ela poderia ter me queimado pra ele, ficado puta com ele, mas não foi isso que aconteceu, ela guardou tudo pra ela.

Então nos falamos nesses dias e na sexta-feira conforme combinado, liguei pra ele a tarde, lembrando. Falei pra ele para pedir a ela para fazer um tira-gosto pra gente com o intuído dela ficar lá na cozinha tomando uma cerveja conosco. E assim foi feito.

Eu e o Ricardo chegamos as 18h30 na casa dele, ela no horário normal as 19h15, e nos encontrou com as latinhas abertas de cerveja na cozinha. Ela chegou, colocou umas compras na mesa da cozinha, nos cumprimentou e meio cansada pegou um copo com agua e assim que bebeu como de rotina foi tomar um banho.

Então eu e o Ricardo comemoramos que tudo estava indo certo. Assim que ela saiu do banho, foi para o seu quarto, arrumar algumas coisas, e logo em seguida o Ricardo a chamou:

– Amor, vem cá. – Ela atendendo ele prontamente perguntou do que se tratava e ele a pediu para que fizesse um tira-gosto.

Então ela preparava as coisas no fogão e o Ricardo conversando. Ele as vezes a introduzia no meio da conversa, fazendo ela participar cada vez mais.

Conversamos naturalmente, como amigos, falamos de diversas coisas e bobagens, e ele uma hora ou outra a acarinhava, a beijava, passava a mão normalmente.

Depois de umas três horas conversando, já quebrado o gelo e relaxados pela bebida, ele deu um abraço nela e olhando pra mim, disse: – Minha mulher é maravilhosa não é.

Eu disse: Tenho que concordar.

Posso te dizer uma coisa ?– disse para ele.

Ele falou: – pode falar.

Então eu completei dizendo: – muito gostosa também. Tem o bumbum lindo.

Ela fez um ar de espanto não acreditando que eu estava falando aquilo na frente do marido dela, mas estava calma.

E como tinha combinado com o Ricardo ele continuo:

– oque que tem ele te elogiar assim?

Ele está sendo sincero. É preferível que seja na minha frente que falar pelas costas. Eu continuei: – É verdade. Olha que bumbum lindo. Maravilhosa sua esposa Ricardo. Eu tinha combinado com ele dele abraçar ela e em um determinado momento depois do elogio eu iria passar a mão nela quando ela estivesse relaxada. E assim eu fiz. Enquanto ele a abraçou eu cheguei por trás dela e deslizei com uma das mãos em seu bumbum, e disse: lindo hein Cíntia?? – o Ricardo estava apenas de olhos fechado, abraçando ela, deixando eu fazer tudo. Imagino que aquela hora ele já estava de pau duro. E então, ele ainda abraçado com ela, eu por trás dela, segurei seu bumbum com as duas mãos, fiquei agachado e por cima do shortinho do seu pijama dei um beijo no seu bumbum. O Ricardo continuou abraçado com ela e eu continuei beijando-a muito naquele bumbum, beijei também com bastante carinho o meio das suas pernas, onde pude sentir o voluminho da sua buceta, e pude perceber que era uma bucetinha carnudinha, e o cheiro dela misturava com o perfume da roupa…

Nessa ela levou o seu bumbum para trás, deu um beijo no Ricardo, deu mais um gole na cerveja e encostada nele, agora de frente pra mim parecia relaxada e querer conversar. Eu falei para o Ricardo:

– Deixa eu ver a barriguinha dela?

Ele então subiu a blusa dela, eu segurei no seu shortinho pra despir, e então ela segurando o shortinho pra eu não tirar o Ricardo falou no ouvido dela pra deixar, e ela concordou. Então ela ficou de calcinha e sutiã na frente de dois homens pela primeira vez.

Linda, magrinha, bumbum lindo. Então continuei a carinhar com minhas mãos, descendo e subindo o seu corpo. Apalpei sua bucetinha, ela estava meio assustada ainda, mais liberava tudo aos poucos.

Disse pro marido dela: – Nossa, meu pau está muito duro . Porra Cíntia, pega aqui pra você ver. Ela relutando, o Ricardo segurou no antebraço dela levando a mão dela até meu pau, e disse: – Pega amor, pega no pau dele, eu deixo.

Ela então pegou no meu pau, não fez qualquer tipo de movimento, então segurei nas mãos dela e fiz ela tocar uma pra mim. Logo em seguida tirei minhas mãos das dela, e como ela estava quase que do meu lado, dei um beijo na bochecha dela enquanto ela me masturbava.

Disse a ela: Mostra para o seu marido como você me deixou.

Então, ela segurou no meu pau e mostrou para o seu marido. Logo dei um abraço nela e meu pau ficou roçando na sua calcinha. Então resolvi tirar a sua calcinha, e ela em todas as etapas ficava analisando se o marido estava gostando. Falei pro Ricardo que iria beijar e chupar a mulher dele toda. Ele falou: – Pode fazer.

Então comecei beija-lá, segurando aquele corpo nu junto ao meu. Deitei-a no sofá, enquanto meu pau roçava em sua xaninha , minha língua explorava sua boca. Depois que beijei muito, e que nossos corpos roçavam um no outro, fui beijando seu corpo até chegar em sua bucetinha que está bem quente e úmida, onde passava minha língua sobre o seu grelinho. Imagino o orgulho do marido naquela hora, ver a esposa bem safadinha pra outro bem na sua frente.

Segurava em seus seios e chupava muito aquela mulher.

Nessa hora, o Ricardo já com tesão tirou o pau dele pra fora e começou a tocar uma e falou:

– Amor, cavalga no pau dele.

Era brincadeira, mas parecia que ela não queria ser penetrada, acho q ele devia achar que tinha ido longe de mais. Ela falou pra ele: Amor, só chupar.

Eu falei pra ele: – Ricardo, fica aqui do lado da sua esposa, segura na mão dela, vou enfiar meu pau todo. – Ele fez isso, ela se sentia mais segura talvez pelo marido estar do lado apoiando. Então peguei a camisinha, vesti e ela deitada no sofá de barriga pra cima a penetrei.

Que sensação gostosa, era como pegar uma virgem. Eu estava com meu pau todo dentro de uma esposa que a pouco era recatada e agora estava com dois homens, bem safadinha.

Comecei a fazer o movimento de vai e vem e aquilo ia esquentando meu corpo, e meu pau cada vez mais. Pedi a ela que chupasse seu marido até quando eu pedir pra ela parar. Ela fez.

Depois de um bom tempo nessa posição pedi que ela cavalgasse em mim para o marido dela ver. Ele que já era corninho essa hora pedi que ele olhasse por trás dela para ver como ela cavalga, pra ele ver como o saco bate nela com força. Pedi a ele que registrasse o momento e assim ele fez. Tirou sua foto de recordação.

Enquanto ela cavalgava, eu dizia coisas do tipo, como:

– Você é muito gostosa Cintia, não podia ficar dando só para o maridinho não, desde o dia que te vi eu queria essa buceta.

– Sabia que seu marido está morrendo de tesão???

– ele está orgulhoso;

Olha pra ele e fala: – Amor, tem um homem me comendo. – E assim ela fez, estava solta, leve, liberta dos paradigmas da sociedade.

Eu dizia a ela: – Fala pra ele olhar.

Perguntei a ele: – vou poder comer sua mulher sempre agora?

Ele disse: – sempre.

Fiz elogios, senti que ela ficava mais a vontade sendo sempre carinhoso e um pouco romântico. Então socava bem gostoso, segurando em sua cintura, deixando ela relaxar. Foi demais esse dia. Ela apertada, molhadinha, soltinha, primeira vez com outro. O encaixe do corpo, a sensação dela me molhando era ímpar. Meu pau estava branco do líquido que escorria dela. Eu abraçei, a penetrei de todas as formas do jeito que ela merecia até gozarmos e revezamos, eu e o marido dela até o raiar do dia.

Essa história aconteceu a 5 anos atrás, hoje resido em Minas, em uma cidade perto do estado do Rio de Janeiro. Vou deixar meu e-mail, caso queiram entram em contato, vou adorar trocar experiências e quem sabe pode ajudar.

Descrevi abaixo o que pode ser uma técnica.

Técnica

Conhece o marido

Combina com o marido

Combina com o marido um encontro com o casal.

Começa conversar com a esposa indiretamente e delicado

Marca de novo para encontrar com pequenas conversas

Marido joga indireta e abertura para conversas sexuais

Comedor elogia e concorda com marido

Marido deixa esposa a vontade com comedor (finge que vai fazer algo)

Comedor elogia parte, volta em alguns tópicos conversado pela marido

Combina novamente com o marido

Comedor e marido marcam algo que aparentemente é sem maldade

Marido elogia esposa para comedor

Comedor deixa a esposa relaxada

Comedor elogia mais sexualmente a esposa

Marido concorda com a investida do comedor e concorda com comedor

Comedor vai mais a diante e investe fisicamente na esposa com carinho e passando a mão

Preliminares

Sexo.

Skype: manreal88

e-mail:[email protected]

Contos relacionados

Comentários

© 2020 - X Contos Eroticos