X Contos Eroticos » Fantasias » Gozei na calcinha da minha prima

Gozei na calcinha da minha prima

  • 29 de setembro de 2018
  • 344 views

Sou um cara aberto a muitas coisas racionados a sexo, tenho um relacionamento estável a 6 anos o que tem muita coisa pra contar e TUDO REAL, mas vamos lá.

disksexo

Hoje vou contar um pouco sobre minha adolescência.
Sempre fui um adolescente muito retraído, reservado, Timido na frente de outras pessoas. Morava na numa casa com 7 mulheres, isso mesmo, bom, uma delas era minha avó, uma minha irmã, minha tia, e a parte boa, 4 primas mais velhas e bem bonitas. Descobri a punheta meio

tarde conversando com amigos lá pelos 14/15 anos, e depois da primeira gozada não queria mais saber de outra coisa, e partir daquele momento começava a sentir coisas novas “excitação”. Para minhas primas eu continuava uma criança , mas para mim elas eram as coisas mais excitantes. Uma certa vez íamos para um balneário, onde tinha piscina, riachos e tudo mais, então minhas primas chamaram para ver como estavam vestidas e se estava bom, na hora que entrei no quarto estavam só de biquínis, eu fiquei louco e não sabia o que falar. Então começaram a brincar de desfile, a mais nova que vou chamar de Tai com 14 já tinha seios pequenos, uma curva na cintura bem definida, bumbum pequeno porém redondo, mas como estava de biquíni dava pra ver o volume da calcinha, fazia uma curva não tão marcante, mas o suficiente pra deixar a parte da frente pequena, a penúltima que vou chamar de Ana já tinha seus 16, corpo de mulher, sempre foi grande, coxas grossas e seios fartos, uma potranca (risos), a segunda Rai já era mais princesa, magra, corpo de modelo, tinha seus 19 anos, seios pequenos proporcionais ao corpo, bumbum pequeno, porém o capot de fusca era marcante, e a mais velha Kel tinha seus 24 anos, corpo mediano, seios médios, corpo de mulher feita, bumbum não tão avantajado ela era mais comportada rs.
Então começaram a desfilar e no final pediram pra eu dar nota, avaliei todas e decidi dar a nota maior pra Rai, o que de certa forma deixou as outras um pouco triste, daí chegou minha tia e acabou a festa. Sai correndo para o banheiro e de imediato bati uma, tão gostoso que fiquei com as pernas fracas, mas tive que sair rápido pois tinha mais gente querendo ir ao banheiro, quando sai minha prima Raí estava na porta e perguntou por que demorei tanto, respondi meio gaguejando e quase que não sai, “tava esperando a água esquentar”, ela olhou pra mim meio desconfiada porém entrou e não falou mais nada. Fomos ao balneário passamos o dia, nos divertimos muito, porém eu não tirava os olhos da Rai, tinha momentos que ela me pegava olhando e eu disfarçava. Chegando em casa sempre foi uma bagunça, fila pro banheiro, então tinha que esperar todas usarem o banheiro pra eu poder ir. Depois de algum tempo esperando chegou minha vez, entrei cansado, louco pra tomar banho e ir dormir um pouco, porém quando entro vejo de cara o biquini que Rai estava usando, um biquíni fio atrás na cor azul que gostava, logo me veio à imagem de sua buceta na mente, quando vi estava de pau duro batendo uma pra ela, estava tão gostoso que gozei rápido e sem querer em sua calcinha, me desesperei, tentei limpar, e na mesma hora ela bate na porta pedindo pra eu passar o biquíni pra ela que tinha lavado e tinha esquecido no banheiro, passei o papel rapidamente e a entreguei sem olhar. Fui dormir com aquela imagem na cabeça, e a vontade me matando de poder ver ela nua, foi aí que resolvi começar a tramar um jeito de ver ela sem roupa. No dia seguinte acordamos, tomamos café, fui assisti tv, e geralmente ficávamos em três em casa de manhã, eu, a Rai e a Tai, comecei meu plano, na hora em que ela foi para o banheiro eu falei que iria no vizinho jogar vídeo game, ela me olhou desconfiada e falou pra não demorar, disse tá bom, porém eu corri pra dentro do guarda roupa do quarto dela. Passando alguns minutos ela entra no quarto com a toalha na cabeça e outra envolvendo no seu corpo, começa a passar creme, desodorante, secar os cabelos, e a pegar a roupa que estava separada em cima da cama, quando menos espero ela finge que vai tirar a toalha, mas no tira, e eu já desesperado dentro do guarda roupa não aguento de tanta ansiedade, então ela pega a calcinha branca de renda e levanta a altura do rosto e fala -Fábio o que acha dessa calcinha ? Eu não sei o que fazer, não sei o que falar, fiquei gelado e sem nenhuma reação. Então ela vem em direção ao guarda roupa e pede pra eu sair, e me pergunta o que estava fazendo ali, se estava espionando, eu confirmei com a cabeça. Ela me olhou com cara de brava e perguntou se no dia do desfile eu havia me masturbado, eu confirmei, e então ela perguntou se eu havia me masturbado é gozado na calcinha dela, eu tentei falar que foi acidente porém não saia uma palavra, e então confirmei, eu já sentado à beira da cama com toda vergonha do mundo, e ela ali na minha frente de toalha e calcinha na mão. Ela vira e fala se ainda queria ver, eu em dúvida falei que sim. Então ela abriu a toalha e eu vi, seus seios pequenos, com bicos pequenos, redondos e com marca de biquíni, e sua buceta volumosa, bem lisinha. Então fui pra pegar e ela bateu na minha mão e segurou, me deu a calcinha e pediu pra eu bater uma e gozar naquela calcinha pra ela e deixar em sua gaveta, falou pra manter segredo. Me falou que já tinha percebido que eu a olhava de um jeito diferente, e que no dia que viu meu gozo no banheiro se excitou por imaginar eu me masturbando pra ela, e no dia que gozei em sua calcinha decidiu me pegar no flagra. Mas isso é coisa pra outro conto.

Contos relacionados

Comentários

© 2019 - X Contos Eroticos